Comunicación interna y fusión de empresas: la necesidad de una planificación

Contenido principal del artículo

Anabela Ferreira Félix Mateus

Resumen

Basándonos en el conocimiento empírico de algunas consecuencias nefastas derivadas de la revolución del 25 de Abril de 1974 en Portugal, intentamos analizar los resultados de las fusiones a nivel de comunicación interna y del conjunto del clima interno que se generó con los cambios provocados con las fusiones empresariales de 1980, muy relevantes en el ámbito de la actividad aseguradora en mi País.
Recurrimos para ello a una metodologíade base cualitativa con entrevistas abiertas, semiestructuradas, y realizamos un estudio comparado entre dos grupos de empresas sometidas a dichos procesos de fusión. El factor principal que distingue a los grupos analizados se sitúa a nivel de los momentos de cambio; así, mientras que en un grupo el proceso es inmediato, instantáneo, en el otro se revela longitudinal, por fases, planeado a lo largo de tres años, lo que posibilitó lapreparación para el cambio que se avecinaba.
En términos de resultados obtenidos, hemos de admitir que la confusióninicialmente percibida en los procesos de fusión, se verifica principalmente en la nueva empresa que no lleva a cabo ningún tipo de preparación en su nueva constitución, mientras que el mismo proceso resulta mucho más sencillo en la que sí tuvo la oportunidad de hacer planes durante los tres años de adaptación.

Detalles del artículo

Sección
Artículos
Biografía del autor/a

Anabela Ferreira Félix Mateus, Investigadora FCT - Fundação para a Ciência e Tecnologia Investigadora no LABCOM – Laboratório de Comunicação e Conteúdos Online Universidade da Beira Interior

-  Fevereiro 2013- Investigadora Integrada no LABCOM- Laboratório de Comunicação e Conteúdos Online da Universidade da Beira Interior

- 2010-2012- Investigadora Convidada em pós-doutoramento  de Ciências da Comunicação no Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo da Escola de Comunicação e Artes da USP  e no Departamento de Letras, Artes e Comunicação do Centro de Estudos Linguísticos da UTAD, como bolseira de Pós-doutoramento da FCT (Fundação para a Ciência e Tecnologia), patrocinada por Fundos Europeus.  Prossegue projeto de parceria entre Portugal e Brasil intitulado “Comunicação Organizacional: ciência ou aplicação empírica? –  um estudo comparado do estádio da disciplina entre o Brasil e Portugal

-  2009 – Desde Janeiro passa a fazer parte do vasto grupo de Investigadores Integrados da FCT

- 2009 -  Doutoramento em Ciências da Informação – Comunicação Empresarial-pela UCM com a Tese  “Consecuencias de la comunicación interna: empresas aseguradoras en Portugal”. Avaliada com  Sobresaliente “Cum laude”.

- Mestre e Licenciada pelo ISCSP da UTL

     - 1997 - Defendeu Dissertação de Mestrado com tema: “Relações Públicas em Hotelaria: uma perspectiva da Qualidade”.  Publicada pelo ISCSP-UTL (1999). Trata-se da primeira dissertação sobre Relações Públicas e Comunicação Empresarial realizada e publicada no País - Revista Estudos Políticos e Sociais.

- Licenciada em Comunicação Social com as especializações de  R.P., Publicidade e MK (1985);  Jornalismo (1986)

-Docente do Ensino Superior desde 1986 até 2001  em Ciências da Comunicação e Ciências Sociais – Comunicação Empresarial, Marketing, Relações Públicas, Métodos e Técnicas da Comunicação Social, Jornalismo, Metodologia de Investigação em Ciências Sociais, Sociologia da Empresa. Com vertente  na área do Turismo e Hotelaria.

Assistente-1986-1988

Assistente c/Regência-1988-1997

Prof. Auxiliar Convidada- 1997-2002

1992-1998 -Técnica Superior em Gabinte de Relações Externas em Instituto de Ensino Superior Privado

Desde 1989 – Conferências, Palestras, Comunicações e Seminários sobre Relações Públicas, Relações Públicas em Serviços Hoteleiros, Comunicação na empresa, Comunicação Estratégica, Comunicação e fusões empresariais, Comunicação e Saúde, Protocolo empresarial

Desde 1992 – Variadas publicações científicas e técnicas no âmbito da Comunicação empresarial, Comunicação Interna, Relações Públicas, Relações Públicas em Serviços, Comunicação Estratégica, Comunicação e fusões empresariais

Citas

Albarello, L.; Digneffe, F.; Hiernaux & J.-P. (1997). Práticas e Métodos de Investigação em Ciências Sociais. (Trad. L. Baptista). Lisboa: Colecção Trajectos

Almeida, V. (2000).A Comunicação Interna na Empresa, Lisboa: Praxis.

Bériot, D. (1997). Mudança na empresa - uma abordagem sistémica - Do microscópio ao macroscópio. Lisboa: Colecção Sociedade e Organização.

Bernoux, P. (1985). La Sociologie des Organizations. Paris: ed. du Seuil,.

Cunha, M. P.; Rego, A.; Cunha, R. C. & Cardoso, C. C. (2003). Manual de Comportamanto Organizacional e Gestão. Lisboa: RH Editora.

Ferreira, J. M. Carvalho; Abreu, J.N. P. & N.de; Caetano, A. (1996). Psicosociologia das Organizações. Portugal: McGraw-Hill.

Goffman, E. (1985). Manipulação do Eu na Vida Quotidiana. Lisboa: Ed. Vozes.

Jablin, F. M., Putman; L., Roberts, K. H. & Porter, L. W. (1987). Handbook of Organizational Communication: An Interdisciplinary Perspective. CA, Sage: Newbury Park.

Lakatos, E. (1987). Sociologia Geral, Atlas. Paulo.pp. 318-319.
Lopes, A. & Reto, L. (1990). Identidade da Empresa e Gestão pela Cultura. Lisboa: Colecção Economia e Negócios.

Martins, V. M.B (2004). Evolución de la Satisfacción y Comunicación Interna. Tese de Doutoramento, Universidad Complutense de Madrid, España.

Ouchi, W. (1985). Revue de Litterature sur la Culture de l’Entreprise, UCLA.

Peters, T. Waterman, Jr., & Robert H. (1987): In Search of Excelence (Na Senda da Excelência). Lisboa: Pub. D. Quixote.

Sainsaulieu, R. (1977). L’identité au travail. Paris: Fondation Nationale des Sciences Polítiques.

Schein, E. H. (1985).Organizational Culture and Leadership, Jossey-Bass

Schumacher, E.F.( 1978). Small is Beautiful – une societé à la mesure de l`home. Paris: Ed. du seuil.

Teixeira, S. (1998).Gestão das Organizações. Portugal: McGraw Hill

Thévenet, M. (1990). Cultura de Empresa, auditoria e mudança. Paris: Monitor (Original em francés, 1986)